Janeiro 30, 2023

Meet the Team – Maria Puente

  1. Qual é a sua posição na BNZ?

A minha posição na BNZ, como CFO, passa por supervisionar e apoiar toda a equipa em todos os assuntos relacionados com as finanças da empresa.

  1. Há quanto tempo trabalha no setor das energias renováveis?

Comecei por acaso há 15 anos e não podia estar mais grata por esta oportunidade.

  1. Nos últimos anos, quais são foram as principais mudanças na indústria solar?

Nos últimos anos, a mudança tem sido mais do que substancial. Quando comecei no setor, a energia renovável era algo de que quase não se falava. Quase ninguém estava interessado no assunto e era vista como impensável e importante para poucos. Mesmo os corajosos que apostaram nestas energias, não sabiam o que o futuro lhes reservava.

  1. Quais vão ser os principais desafios para a indústria solar nos próximos anos?

Superando os desafios que enfrentamos atualmente e sendo capazes de inovar para continuar a melhorar em todos os campos. Em Espanha, por exemplo, temos um know-how admirável que deve continuar a ser reforçado.

  1. O que tem a BNZ que os seus concorrentes não têm?

Temos uma equipa maravilhosa, que leva os projetos muito a sério, e que trabalha sempre de uma perspetiva social e sustentável. O que nos distingue é a nossa preocupação com o bem-estar coletivo.

  1. Como vê a BNZ daqui a 5 anos?

Como referência em projetos bem concebidos.

  1. Quais os países que estão a fazer os maiores esforços no domínio da energia fotovoltaica?

Estamos todos a olhar para a China e para os EUA, mas penso que existem muitos países mais pequenos que por não quererem ficar para trás, estão a fazer grandes esforços.

  1. O que pediria às administrações públicas que fizessem para promover este tipo de energia limpa?

Creio que as administrações públicas deveriam mostrar mais clareza e assegurar estabilidade.

  1. E os cidadãos?

Não devemos olhar para o lado quando se trata de questões que dizem respeito ao futuro do nosso planeta. Precisamos de informações precisas sobre as consequências de não sermos socialmente responsáveis.

  1. O que faz na sua vida quotidiana para reduzir a sua pegada de carbono?

 Tento andar a pé ou apanhar transportes públicos sempre que possível. Em casa estamos muito preocupados com a reciclagem, embora possa ser um pouco enfadonho no início, acaba por se tornar parte da rotina. Lembro-me da primeira vez que cheguei a casa e disse à minha mãe que devíamos começar a reciclar. Ela achou que era uma ótima ideia e eu adoro como ela a leva a peito e não perde a oportunidade de a incutir em pessoas que ela conhece e que não o fazem.

Em profundidade:

  • Um passatempo: Viajar e tocar piano.
  • Uma cidade para viajar: Itália, não importa para onde vá, apaixono-me sempre.
  • Uma cidade para viver: Madrid
  • Um animal: a girafa
  • Um filme ou série: Qualquer filme ou série, desde que esteja em casa com a minha família.
  • Um livro: Los renglones torglos de Dios, de Torcuato Luca de Tena.
  • Um tipo de cozinha: a da minha mãe, que mais!
  • Uma cor: azul

 

Related news

23 Janeiro 2024

Meet the Team – Ramón Alcalá

Read More

18 Dezembro 2023

Compromisso da BNZ em Moratalla nos media

Read More

15 Dezembro 2023

BNZ promove projeto educativo pioneiro para sensibilizar 750 estudantes de Múrcia para os ODS

Read More